0

Osmar Filho destaca aniversário da liberdade de voto feminino no Brasil

Presidente da Câmara Municipal lembra data em que as mulheres passaram a exercer o direito de voto no país, destaca do aumento de vagas femininas no legislativo e reforça a importância de unir esforços para novas conquistas

 

Sensível à causa da mulher, Osmar Filho lembrou a data em que elas obtiveram o direito de votar no Brasil há 89 anos

O presidente da Câmara Municipal destacou nesta quarta-feira, 24, a data em qeu as mulheres passaram a poder exercer o direito de voto no brasil.

– Há exatamente 89 anos as mulheres brasileiras finalmente garantiam o direito ao voto. Uma conquista tardia, porém emblemática, que deu início a uma série de transformações na nossa sociedade – ressaltou o parlamentar.

Osmar Filho lembrou que, hoje, as mulheres não apenas votam, mas também têm o direito de votar. Mas reconheceu que a representatividade feminina na política ainda é baixa.

Antenado com os novos tempos, o presidente do legislativo de São luís ressaltou que, em sua gestão, a Câmara experimentou crescimento no número de mulheres parlamentares.

– Elas representam apenas 15% da nossa atual legislatura. E esse número precisa aumentar – pregou o parlamentar, em suas redes sociais.

Ressaltando que o caminho para as mulheres ainda é longo na sociedade brasileira, Osmar Filho reafirmou seu compromisso de unir esforços para garantir igualdade de oportunidades e respeito.

– Mais do que relembrar este momento histórico, é tempo de encorajar ainda mais conquistas. É preciso respeito em todos os locais que as mulheres desejem ocupar – definiu o presidente da Câmara.

4

A postura medieval da Polícia Militar…

Investigação contra PMs femininas que se mostraram na plataforma Tik Tok, além de intolerante, expõe o sexismo ainda predominante nos meios militares, historicamente impregnados pelo machismo que se impõe a partir das Forças Armadas

 

Policiais femininas da Polícia Militar maranhense em festa do Dia Internacional da Mulher: empoderadas e livres, como deve ser: “lugar de mulher é onde ela quiser”

Editorial

Um aspecto do sexismo reinante em alguns meios sociais, culturais e profissionais maranhenses foi exposto, mais uma vez, esta semana, quando o comando da Polícia Militar resolveu investigar sete PMs do grupamento feminino que viralizaram na rede social Tik Tok.

As moças militares responderam a um desafio da rede, mostrando-se fardadas e, logo em seguida, de roupas civis, como mulheres que são antes de ser policiais militares.

Não ficou claro o motivo que levou a PMMA a abrir sindicância contra a sete mulheres, mas, independentemente de razão, salta aos olhos, sim, a intolerância e o sexismo que impera nos meios militares desde sempre.

Até porque PMs do sexo masculino também já apareceram em ação parecida no Tik Tok. E não se tem notícia de qualquer tipo de investigação contra eles.

Ao contrário do que viu os machistas superiores das militares, a ação delas humanizou a atividade policial, mostrando-as como cidadãs-iguais – até uma forma de tirar do cidadão comum o medo que tem dos homens fardados que estão nas ruas achando-se superiores.

O vídeo mostra as PMs femininas como mulher e cidadã, sem nenhum grau de afronta ou desmerecimento da atividade militar; pelo contrário, aproximam-se das cidadãs comuns 

Mas o machismo e o sexismo imperam não apenas na PMMA.

São características intrínsecas das forças armadas, por mais avanços que se possa reconhecer neste meio nos últimos 50 anos.

Um exemplo: a Academia Militar de Agulhas Negras (AMAN), instituição do Exército que forma oficiais combatentes há 228 anos, só agora, em 2018, recebeu a primeira turma, de apenas 34 cadetes femininas num total de 400 alunos. (Saiba mais aqui)

 

Mulheres cadetes do Exército em formatura da Academia Militar de Agulhas Negras: primeira turma feminina em 228 anos de AMAN

Na própria PM maranhense é reduzidíssimo o número de oficiais superiores.

E nunca uma mulher comandou a corporação em seus 184 anos.

Mas os oficiais masculinos – que dominam os órgãos de controle da polícia maranhense – preferem exortar as mulheres na exposição de sua beleza.

Como verdadeiros machos da Idade Média…

2

Jornalista diz que polícia já liga Carlos Bolsonaro a assassinato de Marielle…

Kennedy Alencar, um dos mais respeitados analistas do Brasil, diz que já existe esta linha de investigação na Polícia Civil do Rio de Janeiro, mas caso está sendo mantido em absoluto sigilo

 

Carlos Bolsonaro e Marielle Franco viviam às turras na Câmara do Rio; o filho do presidente Jair Bolsonaro se recusava a dividir elevador coma colega

O jornalista kennedy Alencar, comentarista do Sistema Globo de Rádio, informou nesta quarta-feira, 20, uma linha de investigação da Polícia Civil do Rio de Janeiro que aponta ligação do vereador Carlos Bolsonaro (PSC) ao assassinato da também vereadora Marielle Franco.

De acordo com Alencar, a polícia levanta hipóteses de participação do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a partir das suas relações com Ronnie Lessa, apontado como assassino de Marielle.

Lessa mora no mesmo condomínio de Bolsonaro e do filho.

Em, outubro, a polícia vazou informação de que um porteiro do condomínio afirmou em depoimento ter recebido autorização “do seu Jair” para que outro acusado, Anderson Gomes, entrasse no condomínio. 

Como o presidente estava em Brasília no dia do crime, foi descartada que a autorização tenha partido dele.

Desde então, no entanto, Carlos Bolsonaro passou a se recolher.

Há duas semanas, cancelou suas contas nas redes sociais, onde era ativo desde a campanha do pai.

A hipótese da participação do vereador na morte da colega está mantida em sigilo pela polícia..

0

Campanha da Assembleia contra feminicídio ganha destaque nacional..

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), destacou em suas redes sociais a repercussão nacional da campanha institucional contra o assédio e o feminicídio, produzida pela Alema, por meio da Diretoria de Comunicação.

A campanha passou a ser veiculada em rede para todo o Brasil pelas TVs Senado e Câmara. Veja o vídeo no link https://www.youtube.com/watch?v=J1qQib56ROE

No Maranhão, o vídeo da campanha foi exibido em todas as emissoras de televisão e rádio, durante os meses de março e abril. “Satisfeito com o alcance nacional da campanha institucional/publicitária contra o assédio e o feminicídio, idealizada pela Diretoria de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão. É muito gratificante poder contribuir, de maneira mais ampla, para alertar a sociedade brasileira sobre as diversas formas de violência contra a mulher, incentivando-as a denunciar os agressores”, declarou Othelino Neto.

O projeto, que contou com o apoio do Grupo de Esposas de Deputados do Maranhão (Gedema) e da Procuradoria da Mulher, tem como objetivo alertar a sociedade sobre as diversas formas de violência contra a mulher, incentivando as vítimas a denunciar os agressores, destacando o número 180.

As frases de efeito “Chega de abuso!”, “Chega de assédio” e “Chega de feminicídio!” foram usadas para empoderar a campanha.

O vídeo aborda ainda o espaço conquistado pelas mulheres que, além de cumprirem o papel de mães e desempenharem outras funções no lar, também estudam, lideram equipes e assumem diversos postos importantes de trabalho.

“A Assembleia Legislativa do Maranhão levantou essa bandeira ao lançar esta campanha sensível de combate à crescente onda de violência que tem vitimado, a cada dia, mais mulheres no Brasil. Conseguimos mostrar, em um minuto, também o empoderamento das mulheres ao ocuparem posições de destaque na sociedade, quer seja nos seus ambientes ou no seio familiar, mostrando que elas são fortes e não se intimidam”, destacou o diretor de Comunicação da Assembleia, jornalista Edwin Jinkings.

0

Acusado de assédio, dono de laboratório debocha da denúncia exaltando a própria genitália…

Paulo Braid Ribeiro Júnior foi acusado de demitir uma funcionária de seu laboratório – que tem, diversos contratos com entes públicos – após a mulher se recusar a fazer sexo com ele

 

UMA DAS VÍTIMAS DE PAULO BRAIDE NA DELEGACIA DA MULHER: convite para sexo a três em motel temático

Denunciado à Delegacia das Mulheres por assédio, o empresário Paulo Braid Ribeiro Júnior, que tem diversos contratos no setor da saúde, além de controlar laboratórios, clínicas e maternidades, debochou da acusação.

Questionado sobre o fato pela titular do blog da Itamargarethe, o empresário ironizou a denúncia, fazendo exaltações à sua própria genitália.

 – Constrangido com nudes que mostram pênis pequeno, Paulo Braid chegou a debochar da denúncia, alegou ser fake news e afirmou as espessuras exibidas (do pênis pequeno) na foto, tanto no comprimento quanto na largura, não reportarem a realidade das suas genitálias – disse a jornalista, em seu blog. (Entenda o caso aqui e aqui)

Empresário do setor da Saúde, Paulo Braid é dono de laboratórios, clínicas e uma maternidade de luxo em São Luís; além disso, mantém contratos públicos, na casa dos milhões, com prefeituras e com o Governo do Estado.

Ele já foi denunciado à Delegacia da Mulher por duas mulheres.

PAULO BRAIDE EM FOTO EXIBIÇÃO NAS REDES SOCIAIS: preocupação apenas com o tamanho da genitália

Uma delas, disse que fora convidada pelo empresário para ir a um motel da cidade, acompanhada de outra mulher, para fazer sexo a três.

Ao tomar conhecimento da primeira denúncia, o empresário – filho de família poderosa no setor público e na política do Maranhão – se preocupou somente em negar a informação sobre sua genitália, alegando que as imagens entregues à polícia e ao blog não condizem com a realidade.

Na tarde do domingo, 7, nova denúncia foi formalizada à Delegacia da Mulher.

Ela contou que, após diversas investidas de Paulo Braid, o empresário propôs diretamente que os dois fossem ao motel Le Baron, juntamente com uma secretária da empresa, para praticarem sexo a três. (Veja depoimento abaixo)

A denúncias mostram comportamento inadequado do empresário, sobretudo em um momento de forte pressão pela equidade de gênero e respeito às mulheres.

O caso está sendo investigado pela delegada Kasumi Tanaka, que pode, inclusive, pedir a prisão do empresário.

Ele deve ser ouvido pela autoridade policial nos próximos dias…

O BOLETIM DE OCORRÊNCIA DE UMA DAS DENÚNCIAS: perseguição rotineira no trabalho, assédio moral e sexual

0

Eliziane Gama destaca papel da mulher na política

Reconhecida pelo trabalho de defesa da infância, da juventude, das mulheres e dos direitos humanos, a senadora Eliziane é uma legítima representante das mulheres batalhadoras do Maranhão e uma das mulheres mais influentes da política maranhense.

Para a parlamentar, a participação feminina na política é fundamental. Ela assumiu um compromisso de não permitir retrocesso das conquistas das mulheres e lutar contra a revogação da cota para mulheres.

“Reafirmo meu compromisso com o dispositivo da Lei das Eleições que reserva o mínimo de 30% das vagas destinadas pelos partidos políticos, nas eleições proporcionais, a candidatos de um dos dois sexos; o que, na prática, tem o efeito de reservar uma participação mínima de mulheres na qualidade de candidatas às eleições proporcionais. Essa reserva de 30% vem sofrendo forte ataque no Congresso Nacional, inclusive com o projeto de lei já tramitando propondo a revogação desse direito, que é fundamental na construção de uma sociedade mais equilibrada, mais igualitária entre homens e mulheres, sociedade na qual a voz feminina se faça ouvir na tomada de decisões importantes que conduzem o nosso destino como povo”, afirmou.

Eliziane tem 42 anos e 13 anos de vida pública. Foi deputada estadual (2007-2014), deputada federal (2015-2018) e eleita senadora com mais de um milhão e meio de votos.

Atualmente é a líder do PPS no Senado Federal e membro da Bancada Independente. Eliziane é autora do projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados que institui o Dia Nacional de Combate ao Feminicídio e também uma defensora de maior participação feminina na política e na ocupação de espaços na sociedade.

0

Hildo Rocha homenageia mulheres…

Deputado federal divulga em suas páginas pessoais, neste dia 8 de março, banner com dizeres de exaltação  reconhecimento de gênero

 

O deputado federal Hildo Rocha (MDB) divulgou neste dia 8 de março banner de homenagem à mulher.

– A todas as mulheres do Brasil, em especial às do Maranhão, estado que representou no Congresso nacional , manifesto a minha inesgotável admiração por todas as qualidades que somente elas têm condição de possuir – destacou o parlamentar.

O banner foi divulgado em todas as redes sociais do parlamentar…

0

Helena Duailibe será procuradora da Mulher na Assembleia…

A deputada Helena Duailibe (Solidariedade) é a nova Procuradora da Mulher da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão. A eleição e posse aconteceram na sessão plenária desta quarta-feira (27). A parlamentar foi eleita, por unanimidade, para ocupar o cargo durante o biênio 2019/2020.

Após a eleição, o presidente Othelino Neto (PC do B) parabenizou e desejou êxito a Helena Duailibe, afirmando que a deputada pode contar com o apoio da Presidência para o que for necessário, a fim de que a Procuradoria da Mulher continue sendo um espaço de promoção de políticas públicas de proteção à mulher.  

“Desejo-lhe êxito e sucesso nessa importante missão de ser a nova Procuradora da Mulher da Assembleia Legislativa do Maranhão. Uma missão muito importante que, no biênio anterior, foi desempenhada com muita competência pela deputada Valéria Macedo”, disse Othelino.

O presidente da Assembleia afirmou, ainda, ter plena certeza de que, sob o seu comando de Helena Duailibe, o trabalho da Procuradoria continuará sendo desenvolvido de forma brilhante.

“Conte com todo o apoio desta Presidência para que a Procuradoria da Mulher continue sendo local de promoção de políticas públicas de proteção às mulheres e de combate a práticas tão nocivas que, infelizmente, ainda hoje assustam a sociedade brasileira”, enfatizou Othelino Neto.

Responsabilidade

Helena Duailibe disse que, a partir de agora, terá a grande responsabilidade de dar continuidade ao trabalho iniciado pela ex-deputada Valéria Macêdo. Ela informou que buscará alternativas junto a todos os segmentos que trabalham com a causa das mulheres, fazendo com que políticas públicas de prevenção sejam cada vez melhor implementadas.

“Não podemos mais ouvir nos noticiários que pessoas foram assassinadas. Nós temos que trabalhar políticas de prevenção. Vai ser um grande desafio. Vamos procurar informar as mulheres dos seus direitos e onde elas podem buscar as ações. Este vai ser o grande elo nosso com as mulheres”, acentuou a deputada.

Feminicídio

Segundo a parlamentar, ação voltada à questão do feminicídio será o grande enfoque da Procuradoria da Mulher. 

“A gente sabe que os números que são informados são muito pequenos porque as pessoas têm medo de denunciar. Eu quero tirar esse medo; quero fazer com que as mulheres encontrem a forma certa de denunciar.  Vamos, juntas, encontrar soluções, pois é muito triste ouvir relatos informando que não há mais jeito”, disse Helena.

2

“Cabo Campos bateu ou não bateu na mulher?”, questionou Andrea Murad…

Deputada diz que explicações do deputado na Assembleia Legislativa não ficaram claras, diante das provas apresentadas pela vítima e já em curso na Justiça

 

A deputada Andrea Murad (MDB) voltou à tribuna após o pronunciamento do deputado Cabo Campos, acusado de agredir a esposa, e levantou novamente o questionamento sobre a ocorrência, assunto que não ficou claro de acordo com a parlamentar.

“Eu gosto do Deputado Cabo Campos, não tenho absolutamente nada contra ele. Eu torci muito para que ele viesse a esta tribuna desde a semana passada para dar uma explicação, ainda bem que ele veio, mas continuamos sem saber. Cabo Campos bateu ou não bateu na mulher? Agrediu ou não agrediu? Infelizmente não ficou claro. O deputado disse que está sendo julgado mas não  foram feitas acusações vazias. A própria justiça reconheceu a violência contra a esposa. Ela prestou depoimento na polícia, a Justiça decretou medida protetiva, então, não foi à toa. Mas esse caso não é meu, esse caso é da competência da Comissão de Ética que deve apreciar o assunto, apurar a conduta do parlamentar, independente da Justiça e do MP”, disse.

Andrea Murad reforçou o papel da Assembleia Legislativa neste escândalo envolvendo parlamentares e a importância da Casa prestar todos os esclarecimentos e confirmar sua posição diante do atual cenário que acaba desgastando a imagem do Poder Legislativo.

Procuradora da Mulher na Assembleia, a deputada Valéria Macedo (PDT) também se pronunciou, e disse que já pediu o afastamento de Cabo Campos, por 60 dias…

4

O drama familiar de Cabo Campos…

Às vésperas do Dia Internacional da Mulher, parlamentar evangélico se vê às voltas com um debate envolvendo questões de gênero, orientação sexual e religião que perpassa a questão policial e deve ser visto também com um olhar do ponto de vista social

Cabo Campos, um mundo caído em três atos: o dele, o da mulher e o da filha…

Editorial

O deputado estadual evangélico Cabo Campos (PSC) viu, de uma hora para outra, seu mundo particular ruir como uma montanha de cartas.

Sua mulher, com quem vive há 26 anos, o denunciou por agressão continuada e teve o caso elevado à enésima potência na mídia e na Assembleia Legislativa.

Sua filha, tentando remediar a situação, expôs ainda mais a família, revelando a própria homossexualidade em um contexto impregnado de religião por todos os lados.

A casa caiu para o deputado, literalmente.

E, para completar, tudo isso ocorre às vésperas do Dia Internacional da Mulher.

A agressão à esposa – registrada na delegacia e já investigada em vários níveis – é um crime imperdoável, qualquer que seja a justificativa usada pelo deputado ou sua defesa.

Mas independentemente das questões policiais e de Justiça, é preciso entender que Cabo Campos e sua família vivem um drama sem precedentes nos meios políticos e midiáticos do Maranhão.

É preciso acompanhar tudo isso com os olhos que possam ver além do sensacionalismo, para além do linchamento social ou moral; e para além das questões de religião ou de gênero.

Cabo Campos cometeu um crime que precisa ser punido com exemplar medida, até pela posição social que ele ocupa.

Mas qualquer que seja o final da novela, nada vai reparar o desastre familiar que se viu após repercussão do escândalo.

E isso também precisa ser levado em conta…