0

Duarte Jr. silencia sobre escolha de Rubens Jr. por Flávio Dino…

Deputado estadual do PCdoB ocupa a segunda posição nas pesquisas de intenção de votos em São Luís, mas é rejeitado não apenas pelo seu partido, mas por praticamente toda a base aliada ao Palácio dos Leões

 

Silêncio de Duarte sobre a escolha de Flávio Dino indica que Karen Barros pode vir a figurar em chapa majoritária em São Luís

O deputado estadual Duarte Jr. (PCdoB) vem em uma espécie de plano de pouso do seu projeto de voos mais altos para chegar à Prefeitura de São Luís.

Desde que veio a público a revelação de que o governador Flávio Dino (PCdoB) já havia se decidido pelo secretário Rubens Júnior (PCdoB) para representar a base governista na disputa em São Luís, Duarte Jr. calou-se.

O blog Marco Aurélio D’Eça tem insistido em ouvir dele uma análise sobre essa revelação de Flávio Dino, mas o parlamentar ignora as chamadas.

Duarte Júnior, na verdade, vem dando sinais de que já se acomodou em relação à disputa em São Luís, mesmo sendo o mais bem posicionado membro governista nas pesquisas se intenção de votos.

Nem o namoro com o PRB, do vice-governador Carlos Brandão, ele parece alimentar mais, mesmo diante da proximidade de uma necessidade de definição partidária.

E no Solidariedade, que tem o juiz Carlos Madeira, as lideranças já defendem a tese de ter a ex-superintendente do Procon, Karen Barros, como vice, indicada por Duarte.

E o silêncio do parlamentar indica que a ideia já foi absorvida, até para o próprio PcdoB.

Mas esta é uma outra história…

1

Edivaldo Júnior entre Weverton Rocha e Flávio Dino…

Governador quer o prefeito de São Luís coordenando a campanha do candidato do PCdoB, Rubens Pereira Júnior, o que pode levar o senador a abrir mão da aliança com o DEM para evitar a evidência de racha na base governista

 

Edivaldo Júnior foi chamado por Flávio Dino para coordenar campanha do seu candidato em São Luís, projeto que pode não ser o mesmo do PDT, de Weverton Rocha

O governador Flávio Dino (PCdoB) iniciou 2020 com uma série de ações para reforçar o absoluto comando de sua base política no Maranhão.

Entre essas ações, duas marcaram posição diretamente relacionadas à sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT):

1 – ele declarou que caberá ao próprio prefeito a coordenação da campanha do candidato governista em São Luís;

2 – Dino declarou que o vice-governador Carlos Brandão é o candidato natural à sua sucessão, embora – e “infelizmente”, segundo o próprio comunista –  existam outras opções.

Com os gestos públicos, o governador prestigiou o prefeito e emparedou o senador Weverton Rocha (PDT), que vinha se movimentando intensamente como candidato em 2022.

Já se sabe agora que o candidato governista de Flávio Dino é o secretário de Cidades Rubens Pereira Júnior (PCdoB); é, portanto, a campanha dele que Dino quer que Edivaldo comande.

E o caminho de Edivaldo estará intrinsecamente ligada ao caminho de Weverton Rocha.

Se o senador decidir-se pela aliança em torno de outro candidato que não seja Rubens Júnior, estará em palanque distante do prefeito que ele atraiu para o PDT exatamente em busca de ascensão política no estado.

Se, por outro lado, Weverton seguir  o caminho de Edivaldo, fechando aliança em torno de Rubens Júnior, estará dizendo ao público que acatou a articulação eleitoral de Flávio Dino, tanto para 2020 quanto para 2022.

O caminho de Edivaldo Júnior em 2020, portanto, muito dirá sobre o caminho de Weverton Rocha em 2022.

E a julgar pela ida do senador ao Palácio dos Leões, logo após as declarações de Dino sobre o prefeito e sobre o seu vice, parece que os caminhos já se cruzaram.

É aguardar e conferir…

3

Apoio de Dino a Rubens Júnior libera demais candidatos da base

Declaração foi dada pelo próprio governador ao pré-candidato do solidariedade, Carlos Madeira, semana passada; além do próprio Madeira, governador descarta Neto Evangelista, Bira do Pindaré e Duarte Júnior como opções do Palácio dos Leões

 

Rubens Júnior não divide apenas pratos de mocotó com Flávio Dino; e tem a garantia do governador para ser candidato do PCdoB a prefeito

O pré-candidato do Solidariedade a Prefeito de São Luís, Carlos Madeira, revelou, na última sexta-feria, 17, em entrevista à TV Guará, quem é o candidato do PCdoB a prefeito de São Luís.

Trata-se do secretário de Cidades, Rubens Pereira Júnior, segundo o próprio governador Flávio Dino.

– Eu tenho um candidato, que é o Rubens Junior – disse Dino, segundo o próprio Madeira, que esteve com o comunista na tarde da última quarta-feria, 15.

A revelação do comunista ao ex-juiz tira da lista de nomes do Palácio dos Leões os também pré-candidatos Bira do Pindaré (PSB), Neto Evangelista (DEM) e Duarte Júnior (PCdoB); mas também abre caminhos a eles.

Com a fé pública de juiz federal aposentado, Carlos Madeira revelou ter ouvido do próprio Flávio Dino que o candidato é Rubens Júnior

Para Pindaré, nada muda; antes mesmo da pré-campanha ele já sabia que não teria o apoio do Palácio dos Leões, e muito menos o de Flavio Dino.

Evangelista, por sua vez, já vem se articulando para ter o apoio do PDT, mas tem as garantias do DEM para a disputa, em qualquer circunstância – ainda que os pedetistas sigam com Pereira Júnior.

A revelação de Flávio Dino pode ser também o estímulo que faltava a Duarte Júnior para deixar o PCdoB e buscar novo rumo partidário para sua candidaturas.

Basta criar coragem para isso…

2

Eleitores criticam visita de Carlos Madeira a Flávio Dino…

Manifestações de leitores do blog viram atrelamento do pré-candidato do Solidariedade ao deixar a coletiva de anúncio da filiação diretamente para o Palácio dos Leões, onde foi recebido pelo governador

 

Carlos Madeira na visita a Flávio Dino, acompanhado de Simplício Araújo; declaração de independência e repercussão ruim na internet

Repercutiu mal entre leitores e eleitores a visita do pré-candidato do Solidariedade, carlos Madeira, ao governador Flávio Dino, logo após sua coletiva de anúncio da filiação partidária.

Durante o encontro com jornalistas, Madeira foi questionado se sua candidatura estaria ou não vinculada a base de Flávio Dino, pelo fato de o comando do Solidariedade pertencer ao secretário Simplício Araújo.

Na resposta, o juiz aposentado se declarou independente.

Manifestações em comentários no blog Marco Aurélio D’Eça, no entanto, viram atrelamento na visita automática ao governador.

No post “Carlos Madeira tem visão equilibrada sobre a gestão de Edivaldo”, dois comentarias se manifestaram criticamente.

– Começou mal, indo tomar bênção para Flavio Dino e elogiado esse governo pivio (sic) de Holandinha, que trabalhou só 10 meses em 8 anos – afirmou o leitor, identificado por Júnior.

Outro comentarista, de nome Cláudio Costa, classificou de “decepção” a atitude do candidato do Solidariedade.

– Na primeira oportunidade foi parar nos braços do governador. Mais um do consórcio comunista, era pra ser o candidato do NOVO. Esse ta longe de independente – disse Costa

Há críticas também no post “Carlos Maderia; surge, de fato, um candidato em São Luís”.

– Candidato independente indo tomar benção pra Flavio Dino, ah Fala serio!!!! – criticou Antonio Vidal.

Após a visita a Flávio Dino, o release encaminhado pelo Solidariedade citou fala do próprio Madeira sobre independência e sua relação com Flávio Dino.

– Eu estou acreditando, firmemente, que ele [Simplício Araújo], independentemente de ser secretário de Estado, tenha o comando do partido para não permitir que o partido, eventualmente, deixe de entregar a legenda para que nós possamos ser candidatos. (…) O governador Flávio Dino, pelo que eu tenho lido nos jornais, tem um candidato que é do seu partido, o PCdoB – disse o pré-candidato, segundo o release.

Carlos Madeira tem retórica e tem discurso para desconstruir eventuais críticas à sua postura como candidato.

Mas é bom ficar de olho no que diz a voz rouca das ruas…

0

Decisão eleitoral de Flávio Dino terá reação em cadeia…

A escolha do comunista maranhense entre a eleição presidencial e a senatória levará a uma rearrumação que pode gerar rachas em toda sua base política, criando situações desastrosas a aliados no governo, na Assembleia e na bancada federal

 

O destino eleitoral de Flávio Dino mexe diretamente com os projetos políticos de Othelino Neto e Carlos Brandão e podem comprometê-los em 2022

Ao mesmo tempo em que blogs maranhenses repercutiam na quinta-feira 16, a notícia de que o ex-presidente Lula admitia, pela primeira vez, um apoio ao governador Flávio Dino (PCdoB) em 2022, o blog do jornalista Jorge Aragão levantava a hipótese de recuo do comunista.

A inserção do governador maranhense no debate presidencial o levou a uma situação de quase não-retorno, pelas consequências de uma decisão em concorrer ao Senado, por exemplo, e não à presidência ou vice.

Desde que Dino decidiu imiscuir-se no debate presidencial, ainda em 2018, seus aliados começaram a construir – como era de se esperar – também as suas opções de poder no vácuo que surgirá em 2022.

O presidente da Assembleia Legislativa Othelino Neto (PCdoB), por exemplo, já anunciou mais de uma vez que disputará as eleições majoritárias. (Relembre aqui, aqui e aqui)

De olho no posto de Neto, seu vice, Glalbert Cutrim (PDT), articula desde então ocupar a cadeira presidencial na Assembleia.

Como ficam Othelino e Glalbert diante de um recuo nacional de Flávio Dino ?!?

Confiante no projeto presidencial de Flávio Dino, Weverton Rocha já acenou com articulações envolvendo todos estes personagens; recuar, comprometeria toda a base

E como ficariam o vice-governador Carlos Brandão (PRB) e o senador Weverton Rocha (PDT) se o comunista optasse por concorrer ao Senado em uma encabeçada por um ou por outro?

A exigência de ter que refazer seus planos traria a qualquer uma dessas peças políticas consequências desastrosas, uma vez que a reação em cadeia – entre deputados federais e estaduais, prefeitos e vereadores que também já fizeram planos com base no caminho presidencial de Dino – afetaria diretamente suas eleições.

Obviamente que a essas alturas – às vésperas das eleições municipais – tanto Weverton Rocha quanto Carlos Brandão, Othelino Neto e Glalbert Cutrim já firmaram compromissos com base no projeto presidencial de Flávio Dino.

E esses compromissos levaram a projetos de outros, que também terão que refazer seus planos.

Diante de toda essa questão, o recuo do comunista mostrará se ele tem um projeto de poder envolvendo o grupo ou apenas pessoal.

É aguardar e conferir…

2

Autofagia no grupo de Flávio Dino expõe a Assembleia

Na guerra entre pré-candidatos da base governista, mensagens atribuídas a assessores revelam nas redes sociais questões salariais de gabinetes, desgastando o Poder Legislativo na opinião pública maranhense

 

Esta postagem foi distribuída logo cedo, acompanhada da relação funcional do gabinete de Duarte Jr. expondo a Assembleia Legislativa

Está passando dos limites da disputa saudável de poder a guerra entre os pré-candidatos da base do governo Flávio Dino (PCdoB) à Prefeitura de São Luís.

A batalha pessoal está expondo, inclusive, o próprio Poder Legislativo ao desgaste na opinião pública.

Nesta quinta-feira, 16, mensagens – atribuídas, de um lado, a pessoas ligadas ao deputado estadual Dr. Yglésio (sem partido); e por outro a aliados do também deputado estadual Duarte Jr. (PCdoB) – expuseram questões funcionais da Assembleia que desgastam a Casa nas redes sociais.

Em um dos grupos de jornalistas foi postada a informação de que assessores de Duarte Júnior recebiam salários de até R$ 17 mil, dando ares de escândalo à informação.

– Isso é um escândalo absurdo com dinheiro público, enquanto professores recebem R$ 1.856 e soldados R$ 2.990. O caminho final dessa nação será o buraco – afirmou cidadão de nome Gustavo Carvalho, dando ares de escândalo à informação. (Veja imagem)

Ocorre que a remuneração dada ao gabinete de Duarte Júnior é a mesma de todos os deputados estaduais. 

O comentário foi postado por alguém que os membros do grupo apontaram como assessor de Yglésio Moyses. Até a relação salarial do gabinete de Duarte foi postada.

Grupos de todo o maranhão receberam esta postagem, dando conta de “mamatas” no gabinete de dr. Yglésio: exposição gratuita da Assembleia

Em uma série de outros grupos foi postada uma outra relação de pagamentos da Assembleia, mas desta vez relacionada ao gabinete do próprio Dr. Yglésio.

– Veja só a mamata no gabinete de Yglésio Moyses – provocou o membro, que o blog não conseguiu identificar. No gabinete do parlamentar, a postagem foi atribuída a aliados de Duarte.

O blog Marco Aurélio D’Eça procurou o dois parlamentares, mostrando os fatos nas redes sociais, mas nenhum dos dois quiseram responder.

De uma forma ou de outra, a guerra particular entre pré-candidatos dinistas expôs ao ridículo à própria Casa onde eles se reúnem.

Com a palavra, os colegas deputados estaduais…

3

Tutor do filho em São Luís, Rubão Pereira abre crise em Matões…

Ex-deputado e ex-prefeito do município decidiu romper a aliança pontual que mantinha com o prefeito Ferdinando Coutinho, gerando uma série de movimentações políticas que devem repercutir, inclusive, no estado

 

Ferdinando Coutinho sob o olhar de Rubens Pereira: aliança pontual em Matões, que durou apenas um ciclo eleitoral

O ex-deputado e ex-prefeito de Matões Rubens Pereira tem sido uma espécie de fiador e tutor na pré-campanha do filho a prefeito de São Luís.

Tem sido ele, inclusive, o responsável pelas conversas na atração de aliados e apoiadores.

Mas se busca unidade em torno do rebento na capital, Rubão não parece preocupado com isso em seu município de origem, Matões, onde foi prefeito por dois mandatos e elegeu também a mulher, Suely Pereira.

Na semana passada, Rubens Pereira encaminhou uma mensagem em grupos de whatsapp de Matões que foi entendida como declaração de rompimento pelo prefeito Ferdinando Coutinho.

Coutinho é irmão do falecido presidente da Assembleia, Humberto Coutinho, de quem os Pereira sempre foram adversários em sua cidade – e se juntaram em aliança pontual após aproximação com o governador Flávio Dino (PCdoB).

Após a declaração de Rubão, o prefeito exonerou vários secretários ligados aos Pereira; em contrapartida, vários vereadores decidiram afastar-se da base do prefeito.

Não se sabe o impacto que esse imbróglio do pai causará na campanha do filho em São Luís; mas, de uma forma ou e outra, haverá repercussão, inclusive, no governo Flávio Dino.

Dino é historicamente ligado aos Coutinho, que sempre o apoiaram tanto em Caxias quanto em Matões; Já Rubens Júnior é secretário de estado e seu candidato a prefeito de São Luís.

O posicionamento do governador, portanto, terá forte influência nas eleições municipais

Tanto de lá quanto daqui…

0

Com Duarte fora, Leões vão estimular Roseana, de olho em 2º turno

Grupo do governador Flávio Dino precisa de um nome que mantenha a possibilidade de a eleição de outubro ser decidida em duas rodadas; e acham que a ex-governadora consegue dividir os votos de Eduardo Braide sem ameaçar os palacianos

 

Flávio Dino quer ter Roseana como uma espécie de esteio para a garantia de um segundo turno nas eleições de São Luís

O núcleo de comando do grupo liderado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) em São Luís conseguiu chegar a 2020 reduzindo o número de pré-candidatos de sua base interessados na sucessão do prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Da profusão de nomes listados até meados de 2019, o Palácio tem neste início de 2020 apenas Rubens Pereira Júnior (PCdoB), como candidato principal, e Neto Evangelista (DEM), que seria a opção alternativa.

Os deputados Bira do Pindaré (PSB) e Dr Yglésio (sem partido), além do jornalista Jeisael Marx, não são levados em conta na listagem dos nomes mais alinhados ao governo.

E o deputado estadual Duarte Júnior é considerado fora da disputa pelo núcleo mais duro do comunismo.

E é exatamente para fechar o buraco deixado pela saída de Duarte – hoje em segundo lugar nas pesquisas – que o Palácio tenta estimular indiretamente a candidatura da ex-governadora Roseana Sarney (MDB).

Para Flávio Dino e seus pensadores, Roseana largaria bem na disputa, com índices entre 10% E 15%, o que geraria a ideia imediata de segundo turno. Os dinistas apostam, no entanto, que ela não teria fôlego para se sustentar na segunda posição ao longo da campanha, garantindo a presença de um deles no segundo turno.

Por isso é que os Leões estimulam, discreta e indiretamente, a permanência de Roseana na disputa

Ressabiada, a ex-governadora perceberá?!?

3

A superestrutura de campanha que tenta catapultar Rubens Júnior…

Secretário de Cidades já tem à disposição equipes de marketing e análise de números, imprensa e divulgação, na tentativa de deslanchar nas pesquisas até depois do carnaval, quando será definido o candidato do grupo Flávio Dino/Edivaldo Júnior

 

Rubens Júnior tem à sua disposição toda a estrutura de mídia e marketing do governo Flávio Dino; mas este investimento comunista ainda não se refletiu nos números

A movimentação do secretário de Cidades e pré-candidato do PCdoB a prefeito de São Luís, Rubens Pereira Júnior, na semana passada, foi resultado de um estudo de campo.

Suas falas, a ocupação de espaços de mídia, declarações em redes sociais e exposição pública estão sendo trabalhadas diariamente por uma equipe de profissionais já à disposição do pré-candidato.

Rubens Júnior é o candidato do Palácio dos Leões a prefeito, já está decidido.

Precisa agora convencer os demais aliados de que deve ser o nome de todo o grupo liderado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) e pelo prefeito Edivaldo Júnior (PDT).

Para tanto, o secretário aceitou ser uma espécie de candidato de laboratório, exposto a experimentos de marketing que visam alavancar seus números nas pesquisas até depois do Carnaval, quando será escolhido o candidato da base governista.

Não se surpreenda, inclusive, se ele aparecer de dedinhos para cima, no batuque da folia de Momo, tudo milimetricamente estudado para gerar mídia.

Pereira Júnior mantém à disposição uma superestrutura, desde o início de 2019. Mesmo assim, fechou o ano com apenas 1% nas pesquisas de intenção de votos divulgadas em dezembro.

A despeito de sua performance, no entanto, o pré-candidato do PCdoB tem atraído apoio de vários membros da base, a exemplo do ex-presidente da Câmara, Astro de Ogum (PL), e de vários vereadores.

Falta convencer, ainda, o prefeito Edivaldo Jr. – que vai coordenar a sucessão em São Luís – e o chefe do PDT maranhense, senador Weverton Rocha, que tenta manter o partido no poder em São Luís.

Mas ainda há tempo para isso até o início das convenções, em julho.

Sobretudo se, antes, os números falarem positivamente…

4

Flávio Dino entrega a Edivaldo coordenação da campanha em São Luís

Prefeito – que vinha tentando focar apenas a gestão neste término de mandato – vai assumir as articulações para definir aquele, ou aqueles, que representarão o grupo político nas eleições de outubro

 

Flávio Dino já repassou a Edivaldo Júnior a responsabilidade pela definição do candidato – ou candidatos – que representarão o grupo nas eleições de outubro

O governador Flávio Dino (PCdoB) revelou na entrevista ao Jornal Pequeno que caberá ao prefeito Edivaldo Júnior (PDT) a coordenação da campanha do candidato – ou candidatos – do seu grupo político nas eleições de outubro.

Além de assumir uma importante responsabilidade neste fim de mandato – em que pretendia focar na entrega de obras e serviços – Edivaldo ganhará ares de liderança de peso no grupo do governador.

E o seu sucesso nas urnas catapultará também seu cacife para além de 2020.

– Ele é quem vai conduzir [Edivaldo Júnior]. Eu já acertei isso com ele. Ele é que vai conduzir as reuniões, assim como em 2018 fui eu que conduzi, no caso de 2020 será ele que vai conduzir: chamar os partidos, os presidentes municipais, e tentar ir construindo uma união, a mais ampla quanto possível for – revelou Dino. (Leia aqui a íntegra da entrevista)

Segundo revelou o governador na entrevista, Edivaldo já até marcou com ele uma reunião para após o carnaval, quando se dará a definição de como será o comando das articulações.

Flávio Dino disse que pretende acompanhar a campanha de seus aliados no interior, mas não se envolverá diretamente em cidades onde houver mais de um candidato da base, o que deve ser o caso de São Luís.

Se Edivaldo Júnior conseguir concluir o mandato com a ênfase nas obras e serviços que vem apresentando na capital e, ainda assim, conseguir fazer o seu sucessor, assumindo a campanha, estará definitivamente cacifado para 2022.

Quando se dará a sucessão do próprio Flávio Dino…