0

A pedido de Roberto Costa, Flávio Dino autoriza reforma do Largo de São Pedro 

Governador atendeu o deputado estadual emedebista, que já analisa o início da obra, palco do tradicional festejo de São Pedro e marco cultural da região da Madre Deus

Roberto Costa com representantes do governo, da prefeitura, e comunitários da região do largo de São Pedro

A reforma completa do Largo de São Pedro teve início na tarde de ontem (20) qq qq. A Obra é fruto de uma solicitação do Deputado Roberto Costa que foi atendida pelo Governador Flávio Dino. O deputado esteve junto ao Secretário de Estado da Cultura Anderson Lindoso, com o Presidente da Agência Executiva Metropolitana, Lívio Jonas Mendonça, Secretário de Governo Diego Galdino e André Campos, secretário de desenvolvimento metropolitano de São Luís, para marcar o início dessa reforma.

O Largo da Capela de São Pedro, no bairro da Madre Deus, é um marco da nossa cultura, onde há mais de 80 anos realiza-se o tradicional festejo de São Pedro.

A obra contempla a reforma total da capela, a estrutura da escadaria, o largo e o entorno. Obra essa que é de grande importância para a população da região que agora contará com mais um espaço amplo de lazer e a cidade ganha assim, mais um cartão postal.

“Hoje é um dia de muita alegria para todos. O Largo de São Pedro é um marco na história e cultura da região da Madre Deus. Aqui é o lugar onde eu cresci e fico imensamente feliz em acompanhar esse novo momento. Sinto que estou mais uma vez cumprindo um compromisso com a cultura popular de São Luís” afirmou Roberto Costa, que aproveitou também para agradecer ao Governador Flavio Dino e aos secretários Anderson Lindoso (da cultura) e ao Secretário de Governo Diego Galdino.

3

Oposição pode reunir até 7 partidos contra grupo dinista em 2022

Aos poucos, lideranças não subordinadas ao projeto do governador comunista vão se unindo em torno de um objetivo comum: chegar ao segundo turno das eleições para o Governo do Estado em aliança que pode envolver de bolsonaristas a sarrneysistas, ex-governadores e ex-candidatos a governador, deputados federais, estaduais e prefeitos com repercussão estadual

 

Pré-candidatos a governador, Roberto Rocha e Josimar de Maranhãozinho trabalham na reunião do maior número de partidos na oposição a Flávio Dino

Enquanto o grupo do governador Flávio Dino (PCdoB) ainda bate cabeça para definir um candidato ao Governo do Estado, a oposição ao governo comunista vem aos poucos se alinhando em torno de um projeto comum: chegar, de forma decisiva, ao segundo turno em 2022.

Com este foco, já há lideranças de pelo menos sete partidos, como MDB, PSD, PTB, PL e PV, além de partidos de média estrutura, como PSC e Podemos.

Para efeito de comparação, se houver composição em torno de um único candidato, o grupo já reúne mais partidos que o senador Weverton Rocha (PDT), pré-candidato mais bem viabilizado no grupo dinista.

As conversas já envolve ao menos três pré-candidatos a governador: senador Roberto Rocha (sem partido), deputado federal Josimar de Maranhãozinho (PL) e o prefeito Lahésio Bonfim (sem parido).

Ao lado do colega Lahésio Bonfim, Maura Jorge é uma das lideranças bolsonaristas de oposição ao projeto de poder do governador Flávio Dino

Além deles, a oposição pode reunir em torno de um candidato lideranças do porte da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), deputados federais como Edilázio Júnior (PSD), Aluísio Mendes (PSC), Hildo Rocha (MDB) e prefeitos com repercussão estadual, do porte de Maura Jorge.

Na Assembleia, um bom grupo de parlamentares – com nomes do peso de César Pires (PV), Wellington do Curso (PSDB) e Dr. Yglesio (Pros) – sonha com a consistência de um grupo não-alinhado ao dinismo; ou pelo menos mais independente.

Os deputados Adriano Sarney, Dr. Yglésio, Wellington do Curso e César Pires também sonham com abertura de diálogo que uma disputa pelo govenro pode representar

Para forçar um segundo turno, a reunião de sarneysistas e bolsonaristas em torno de um projeto único tem um objetivo claro: aproveitar-se do racha – ou da falta de consistência do candidato dinista.

Nesta hipótese, poderão disputar efetivamente contra o legado do atual mandatário.

Ou influenciar de forma decisiva a disputa entre dois oriundos do dinismo…

0

Dino confirma critérios que balizarão escolha do candidato que irá sucede-lo

Flávio Dino deixou claro que conduzirá o processo de sua sucessão, usando os pré-requisitos já estabelecidos para a definição do nome, ouvindo dos dois pré-candidatos que não criarão empecilho algum para a definição de quem representará o seu grupo político

 

Brandão e Weverton garantiram a Flávio Dino que aceitarão a escolha do nome do seu sucessor dentro dos critérios já estabelecidos

Do blog de Gláucio Ericeira

O governador Flávio Dino (PCdoB) confirmou ao senador Weverton Rocha (PDT) e ao vice-governador Carlos Brandão (PSDB), ambos pré-candidatos ao Governo do Maranhão, que utilizará de critérios já estabelecidos pelo seu grupo político em pleitos recentes para definir o nome que irá sucede-lo, em 2022.

O comunista reuniu-se com Weverton e Brandão no início da noite de ontem no Palácio dos Leões.

O editor do Blog conversou com alguns aliados próximos dos dois pré-candidatos com objetivo de obter mais informações acerca do encontro, indo além das declarações públicas feitas pelos três em suas respectivas redes sociais.

A reunião reservada durou cerca de três horas.

Logo no início, Dino, além de ratificar veementemente que conduzirá o processo da sua sucessão, pregou o diálogo; destacou a importância e liderança de Weverton e Brandão dentro do seu grupo político; e, antes de continuar a conversa, perguntou a eles se, de suas partes, haveria algum tipo de empecilho político ou pessoal que prejudicasse o andamento do diálogo.

Os pré-candidatos disseram que não. (Continue lendo aqui…)

0

Zé Inácio vai auxiliar Rafael Leitoa na liderança do governo

Governador Flávio Dino nomeou o deputado do PT como vice-líder da bancada governista, num movimento de reaproximação com o partido de Lula no Maranhão

 

O governador Flávio Dino nomeou o deputado estadual do PT, José Inácio, vice-líder do governo na Assembleia Legislativa.

A indicação do deputado foi comunicada nesta quinta-feira, dia 15, no Palácio dos Leões, em São Luis.

O parlamentar petista vai somar esforços junto com o líder do governo, o deputado Rafael Leitoa, na aprovação de matérias e projetos de interesse do governo do Maranhão no legislativo estadual.

Em entrevista a meios de comunicação de São Luís, o deputado estadual Rafael Leitoa elogiou a nomeação do colega para a vice-liderança dizendo que José Inácio tem sido seu companheiro em duas legislaturas e chega como peça importante para somar na defesa das matérias importantes que são enviadas pelo governo do estado para o legislativo .

A Assembleia Legislativa do Maranhão é composta por 42 deputados estaduais.

0

Weverton crê em consenso na escolha do candidato do grupo dinista

Senador e pré-candidato do PDT ao Governo do Estado entende que o governador Flávio Dino vai levar em conta a força eleitoral de cada candidato e o apoio das lideranças e partidos aliados, sem tentar impor nenhum nome à base

 

Weverton faz a sua parte, articulando apoios e consolidando seu nome, esperando que Flávio Dino respeite o consenso no grupo

 

Do blog de Gilberto Léda

Apesar de o governador Flávio Dino (PCdoB) já haver revelado nos bastidores preferência pela candidatura de Carlos Brandão (PSDB) ao Governo do Estado em 2022, o senador Weverton Rocha (PDT) não acredita que o comunista pense em impor o nome do tucano aos aliados.

O pedetista também é pré-candidato a governador e almeja o apoio do Palácio dos Leões.

Em entrevista ao programa Ponto Final, da Mirante AM, nesta quarta-feira (14), ele disse acreditar que a escolha do candidato governista ocorrerá por consenso.

“O Flávio não vai impor. Fosse assim, o Edivaldo [Holanda Júnior] não teria sido reeleito. Ele [Dino] poderia ter um outro candidato, mas ele ouviu os partidos e o grupo”, disse. Continue lendo aqui…

2

Weverton pode reunir até nove partidos da base de Flávio Dino

Governador declarou em entrevista que um dos critérios de escolha do nome do grupo para a disputa de 2022 será o posicionamento dos “14 ou 15 partidos” que compõem sua base de apoio, o que fortalece ainda mais a candidatura do senador pedetista, encaminhada pela maioria das legendas

 

Weverton já se viabilizou eleitoralmente e partidariamente, critérios a serem usados por Flávio Dino na escolha entre ele e Brandão

A escolha do candidato do governador Flávio Dino (PCdoB) à sua sucessão em 2022 levará em consideração a opinião dos cerca de “14, 15 partidos” que compõem a sua base de apoio no Maranhão.

A afirmação foi dada pelo próprio Dino, quatro dias atrás, em entrevista ao site Poder360.

– Entre julho e agosto farei conversa com os 14, 15 partidos que acho que ficarão conosco – afirmou Dino, citando o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o senador Weverton Rocha (PDT) como as opções do seu grupo. (Leia a íntegra aqui)

Weverton lidera praticamente todos os cenários das pesquisas já divulgadas, o que lhe dá vantagem eleitoral sobre Brandão. (Relembre aqui, aqui aqui, e aqui)

Levando em conta a declaração do governador, o pedetista leva vantagem também no critério partidário.

O senador tem o apoio declarado de seis partidos – além do seu PDT já afirmaram estar com ele o PSB, PSL, PRB, DEM e Cidadania – e pode reunir nada menos que nove legendas, se viabilizar PTB, PP e PT.

Levando em consideração o número de partidos na base – citado pelo próprio Flávio Dino – significa que a maioria poderá declarar a Dino a preferência por Weverton.

Sobrariam a Brandão o seu PSDB e mais o PTC, o PCdoB do próprio Dino e duas ou três outras pequenas legendas que compõem a base. 

Se o comunista cumprir sua promessa e levar em conta os critérios das pesquisas e da preferência da base, portanto, Weverton Rocha estará bem à frente de Brandão.

A menos que Dino queira desconsiderar não apenas o pedetista, mas todos os outros aliados partidários…

0

Pré-candidato ao Senado, Flávio Dino ainda sonha ser vice-presidente…

Governador voltou ao cenário nacional neste fim de semana em série de entrevistas na qual respondeu a perguntas sobre a possibilidade de composição com o ex-presidente Lula; e as respostas dão a entender seu interesse

 

Flávio Dino já reservou a vaga de candidato a senador, mas espera ser chamado por Lula como companheiro de chapa em 2022

O governador Flávio Dino (PCdoB) tem afirmado e reafirmado desde o fim do ano passado que pretende disputar uma vaga no Senado Federal em 2022.

Vez por outra, no entanto, ele constrói rodadas de entrevistas em veículos de comunicação nacional nas quais deixa a entender claramente seu interesse em entrar na disputa presidencial, em que aparece com até 2% das intenções de votos.

Mas agora a ideia é compor como companheiro de chapa do ex-presidente Lula (PT), embora, obviamente, não declare abertamente esta possibilidade.

E ele próprio explica por que não se oferece a Lula.

“Na verdade, ninguém se candidata a vice, ninguém se oferece para ser vice. É uma coisa até de mau gosto com o amigo, parece que você não está confiando na saúde do seu amigo”, desconversa o governador, como fez na pergunta do  site My News.

A tradução da resposta de Dino é óbvia: ele não vai se oferecer para compor com ninguém; mas manterá o nome em evidência esperando ser convidado.

E ser vice de Lula, que tem amplas chances de sair vencedor em 2022, é, de fato, um posto e tanto no cenário nacional.

Dino vai continuar mantendo a reserva da vaga de candidato a senador pelo Maranhão até, pelo menos, o início do ano que vem.

Mas continuará, também, a manter seu nome como opção no cenário nacional.

Vai que…

5

Os prazos de Brandão e os prazos de Weverton…

Vice-governador força por uma definição antecipada do governador Flávio Dino por sua candidatura em 2022, enquanto o senador ganha tempo, construindo uma base que pode tornar irreversível seu projeto

 

Brandão quer logo o apoio de Dino por que precisa correr atras de partidos; Weverton já tem o apoio de seis e pode ganahr mais quatro

O fim e semana produziu mais uma enxurrada de interpretações das declarações do governador Flávio Dino (PCdoB) sobre seu candidato em 2022.

E mais uma vez os aliados do vice-governador Carlos Brandão (PSDB) precipitaram-se em ver as afirmações de Dino como uma garantia de que seu candidato será o tucano.

É natural a pressa de Brandão em ter o apoio declarado de Dino; É a partir deste apoio que ele pode construir seu projeto.

Brandão tem até abril de 2022 para negociar com partidos e lideranças políticas sua candidatura; e não há dúvida de que, quanto mais cedo puder anunciar-se como “candidato de Dino”, melhor para ele.

A partir de abril do ano que vem, o vice tera que se virar sozinho para conseguir o maior número de partidos e lideranças em sua campanha.

E so terá dois meses para atrair estas legendas e lideranças.

Só com a chancela dinista, o vice-governador terá condições de atrair partidos e líderes políticos no interior, coisa que o senador Weverton Rocha (PDT), o outro nome do grupo, já faz desde agora.

Por isso o tempo de Weverton e diferente do de Brandão.

Embora também querendo o apoio de Flávio Dino, Weverton se movimenta com estrutura própria, evitando o papel de poste do governador e construindo por si só sua aliança partidária e política.

O pedetista já tem o apoio de seis partidos – PDT, DEM, PSL, PRB, PSB e Cidadania – e pode chegar a 10 até o início da campanha, se confirmar o apoio do PTB, MDB, PP e PT.

Além disso, tem o apoio da senadora Eliziane Gama (Cidadania), dos presidentes da Assembleia, Othelino Neto (PCdoB), da Camara Municipal, Osmar Filho (PDT), da Famem, Erlanio Xavier (PDT), além de alianças encaminhadas com os prefeitos de Sao Luís, Imperatriz, Timon, Bacabal e Pinheiro.

Weverton quer o apoio de Flávio Dino e deixa publicamente claro o eu desejo.

Mas, diferente de Brandão, pode esperar e lutar por isso até junho do ano que vem, ao mesmo tempo em que constrói suas próprias alianças e monta sua estrutura de campanha.

Quando chegar a época das convenções, caberá a Dino decidir quem apóia, levando em consideração – além da força eleitoral de cada um  – também, de que lado estão os 14 partidos que formam a base do seu governo.

E essa decisão influenciará tambem sua própria candidatura ao Senado.

E simples assim…

1

Flávio Dino tem parecer favorável às contas dos três primeiros anos

Na condição de presidente da Comissão de orçamento da Assembleia Legislativa, deputado Roberto Costa vota pela aprovação das contas do governador referentes aos anos de 2015, 2016 e 2017

 

O deputado estadual Roberto Costa, que é presidente da Comissão de Orçamento, finanças, fiscalização, e controle, esteve reunido com os parlamentares para apresentar o relatório das contas de governo do Estado do Maranhão referente aos anos de 2015, 2016 e 2017, dos quais foi o relator. Na ocasião, o deputado apresentou um parecer prévio pela aprovação das contas anuais de governo nos referidos anos.

“Temos desenvolvido o nosso trabalho sempre mantendo em mente o objetivo inicial que é o de dialogar com todas as questões que estiveram em pauta para beneficiar a população maranhense,” afirmou o deputado.

A Comissão de Orçamentos e Finanças  tem como objetivo atuar sobre proposições e assuntos econômicos, incluindo ainda os de competência de outras comissões, que concorram para aumentar ou diminuir assim a despesa como a receita pública; sobre a atividade financeira do Estado; sobre a fixação de subsídios e ajuda de custo a Deputados, Governador e Vice-Governador; sobre o projeto de lei orçamentária, em especial os que disponham sobre o Plano Plurianual, as Diretrizes Orçamentárias e o Orçamento Anual, bem como os projetos referentes à abertura de créditos.

As contas foram aprovadas pela comissão que é formada pelos deputados: Ariston Ribeiro, Ciro Neto, Edivaldo Holanda, Ricardo Rios, Mical Damasceno e Carlinhos Florença, que acompanharam o voto do relator.

12

Eliziane lança candidatura de Weverton ao governo…

Em entrevista à TV Mirante, senadora do Cidadania anuncia que não pretende mais disputar as eleições de 2022 e diz que vê no colega senador as melhores condições para concorrer à sucessão dentro do grupo do governador Flávio Dino

 

Eliziane retirou a candidatura ao governo e declarou apoio a Weverton Rocha, numa decisão de forte repercussão no grupo do governador Flávio Dino

Faltando praticamente 1 ano para a desincompatibilização do governador Flávio Dino (PCdoB), a senadora Eliziane Gama (Cidadania) lançou nesta sexta-feira, 2, a candidatura do colega Weverton Rocha (PDT) à sucessão do comunista.

Em entrevista ao jornalista Clóvis Cabalau, no programa Boma Dia Mirante, a senadora disse que reuniu seu grupo, entendeu que não caberia sua candidatura neste momento e analisou que o nome de Weverton reúne as melhores condições para ser o candidato do grupo de Flávio Dino.

Eliziane ressaltou também que o Cidadania vai apoiar Flávio Dino seja qual for a candidatura que ele decidir concorrer.

– Nós precisamos dar rapidez e fluidez a este processo eleitoral. E dos dois nomes que se posicionam – o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) e o meu colega senador Weverton Rocha – no debate interno do Cidadania, nós entendemos que não era o momento da nossa candidatura; e dentro do nosso grupo, que é coordenado pelo governador Flávio Dino, entendemos que o nome de Weverton acabou tendo mais condições, envolvendo mais lideranças políticas, trazendo propostas importantes; até plano de governo ele já iniciou. E nesse sentido, nós do partido tomamos uma decisão de seguir com ele como pré-candidato a governador. E dentro do Cidadania nós temos hoje o Weverton Rocha candidato a senador e o nosso governador Flávio Dino para o cargo que ele desejar – disse a senadora, em primeira mão a Cabalau.

A senadora afirmou também que o Cidadania apoiará Flávio Dino ao cargo que ele desejar nas eleições de 2022

Eliziane Gama é a primeira liderança política a fazer uma espécie de lançamento da candidatura de Weverton Rocha; e faz isso faltando exatamente 1 ano para a desincompatibilização de Flávio Dino.

A declaração de Eliziane teve repercussão imediata, tanto em Brasília quanto no maranhão.

E deve continuar a repercutir por todo o final de semana…]