9

“Preciso do apoio de vocês”, apela Flávio Dino, em jantar de Othelino com prefeitos e deputados

Após quase oito anos de maus tratos e tratamento autoritário – e sentindo o golpe da candidatura do senador Roberto Rocha – ex-governador diz agora que sempre prestigiou a classe política maranhense

 

Juntos e misturados: dinistas, petistas, comunistas, othelinistas e sarneysistas abraçados com Flávio Dino, que apela à “classe política” por sua eleição de senador

O ex-governador Flávio Dino acusou mesmo o golpe do lançamento da candidatura do senador Roberto Rocha (PSB) à reeleição.

Em jantar promovido pelo presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB), com deputados e prefeitos, Dino nem de longe parecia o autoritário governante que maltratou a classe política em quase oito anos de mandato.

– Faço questão de ressaltar o meu compromisso com aquilo que a gente convencionou chamar de classe política. Quantas vezes andaram comigo, ao meu lado, inaugurando obras? Eu sempre prestigiei a classe política – afirmou o ex-governador, com a cara mais cínica, falando de obras no municípios e da relação do seu governo com as prefeituras.

Quem acompanhou o encontro conta que Dino chegou tentando ser engraçado, fazendo piada e brincando – até mesmo com o deputado Adriano Sarney (PV), neto do ex-presidente José Sarney (MDB), que decidiu apoiar o grupo de Dino nestas eleições.

Flávio Dino vem dando sinais cada vez mais claros de preocupação com a candidatura de Roberto Rocha; desde que o senador decidiu concorrer à reeleição, o ex-governador começou a se movimentar mais fortemente em busca do apoio – que até então ele achava ser obrigação dos prefeitos e deputados de sua base.

Dino fez questão de dizer que sempre prestigiou a classe política; como? levando-a nos lançamentos e usas obras e serviços no interior

A nomeação de Othelino Neto como seu coordenador de campanha – o presidente da Assembleia indicou a esposa como primeira suplente na chapa dinista – também foi uma forma de tentar se reaproximar da classe política, que ele sempre tratou com desdém e desprezo.

Sentindo na pele os riscos de perder a eleição de senador, o ex-governador não se fez de rogado em apelar aos convidados do jantar.

– Eu preciso do apoio de vocês. E mais uma vez estou pedindo o apoio de vocês – frisou o ex-governador.

Uma mudança e tanto para alguém que tinha certeza de ser Deus…

7

Arrogância de Flávio Dino destruiu sua própria base e atraiu todos contra si

Autoritário, personalista e incapaz de dialogar ex-governador tentou se impor como líder e cometeu o erro de inventar um poste para sucedê-lo no governo por que não queria outras lideranças criando sombra em torno do seu nome

 

Símbolo do autoritarismo de Flávio Dino, esta imagem foi registrada em 2016, quando ele tentou impedir Maura Jorge de falar no palanque montado em sua própria cidade

Análise da notícia

O ex-governador Flávio Dino (PSB) foi imposto à classe política por uma estrutura de poder elitista; e nunca conseguiu construir uma liderança orgânica, natural, espontânea.

O resultado desta postura autoritária e personalista é a junção de toda a classe política – governistas e oposicionistas – em torno do nome do senador Roberto Rocha (PTB) para enfrentá-lo nas eleições de outubro.

Pela primeira vez na história um candidato reúne sarneysistas, oposicionistas, pedetistas, petistas, emedebistas e até gente ligada ao próprio Palácio dos Leões contra uma figura pública que, ao invés de construir pontes, desagregou ao absoluto nos quase oito anos em que sentou praça no Palácio dos Leões.

Não é de hoje que o blog Marco Aurélio D’Eça aponta traços de autoritarismo na postura pública de Flávio Dino.

O próprio Roberto Rocha sofreu com opressão do ex-governador, após os dois serem eleitos juntos, em 2014; na lista de abusos de Flávio Dino entram também a prefeita de Lago da Pedra, Maura Jorge, o ex-deputado federal Waldir Maranhão (PDT), a prefeita de Chapadinha, Dulcilene Belezinha, jornalistas, advogados e ex-colegas juízes.

E por último o senador Weverton Rocha (PDT), que lidera as pesquisas para o Governo do Estado.

Esse poder desagregador já foi tratado no blog Marco Aurélio D’Eça, em outubro do ano passado, no post “De como Flávio Dino escurraça os próprios aliados de sua base”.

Nem os alertas fizeram Dino mudar.

Achando-se dono de partidos, de carreiras políticas de mandatos e até de pessoas, ele decidiu sozinho criar um candidato a governador, inventou o vice para esse candidato e praticamente obrigou todos os aliados a fechar com sua candidatura a senador.

Perdeu feio, por que foi Roberto Rocha – e não ele – quem conseguiu os palanques múltiplos nas eleições de outubro.

Mas a arrogância continuou mesmo após o duro recado da classe política: matérias produzidas pelo Palácio dos Leões – e publicadas em blogs controlados pelo governo – ainda ontem apontavam que há “um fosso entre os números de Flávio Dino e os dos demais candidatos”.

Dino corre mesmo sério risco de ser derrotado na disputa pelo Senado.

Talvez fora do poder e sem mandato aprenda a ser mais humilde…

11

Roseana reúne lideranças de todo o Maranhão em São Luís…

Após patacoada do governador Flávio Dino durante evento na BR-135, prefeitos, ex-prefeitos, lideranças do interior, jornalistas e populares foram à casa da ex-governadora prestar solidariedade e reafirmar apoio

 

FORÇA POLÍTICA. Roseana com aliados políticos do interior

A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) recebe, desde o final da manhã desta sexta-feira, 12, centenas de prefeitos, ex-prefeitos, lideranças políticas, jornalistas, artistas e populares na casa do ex-presidente José Sarney, em São Luís.

Os visitantes são membros de grupos de WhatApps criados em torno da pré-candidatura de Roseana ao governo.

Eles decidiram ir até a casa da família da ex-governadora após repercussão negativa dos barracos protagonizados pelo governador Flávio Dino (PCdoB) durante a entrega da duplicação da BR-135.

Para as lideranças, o comunista não tem equilíbrio emocional para continuar à frente do Maranhão.

Aos visitantes, Roseana reafirmou sua candidatura ao governo e disse que pretende lutar para devolver o Maranhão aso níveis de crescimento que experimentava até 2014.

Do encontro participaram também senadores, deputados federais, estaduais e vereadores de São Luís…

5

Aliados perdem o medo de Flávio Dino e aumentam o tom das críticas…

Cada vez mais deputados e prefeitos têm feito ressalvas à relação que o governador mantém com a classe política, falam de egoísmo do PCdoB e sentem-se “abandonados no meio do caminho”

 

Dino tentou se impor pelo medo: e agora paga por isso

Dino tentou se impor pelo medo: e agora paga por isso

Em menos de três dias, exatos três membros da base do governo Flávio Dino (PCdoB) – dois deputados e um prefeito – expuseram publicamente os problemas na relação com o governador.

Os deputados Josemar de Maranhãozinho (PR) e Paulo Neto (PHS) criticaram Dino pela falta de parceria do governo com as prefeituras; o prefeito de Santa Inês, Ribamar Alves (PSB), por sua vez, fez questão de ratificar sua ajuda na eleição do comunista, revelando sentir-se hoje “abandonado no meio do caminho”.

As reclamações, mais do que uma crítica pessoal, revelam que a classe política parece ter começado a perder o medo de Flávio Dino.

Sentimento que este blog já havia relatado, no post “É pelo medo que Dino se impõe…”

De fato, ao vencer as eleições de 2014, oriundo de uma carreira na Justiça Federal, e com um irmão procurador da República, o comunista impôs um medo na classe política que assustava até os mais experientes.

Afinal, quem seria louco – além do titular deste blog – de questionar um cidadão com tanta influência no Judiciário?

Mas o próprio Dino tratou de derrubar este mito.

À frente de um governo fraco, sem resultados efetivos em nenhum setor e com relações frágeis na classe política, aos poucos, o governador foi mostrando ser apenas mais um entre os mais medíocres chefes de governo que já passaram pelo Maranhão.

Leia também:

Edilázio Jr.: “Ditador é quem prefere ser temido a ser amado…”

Medo e perseguição…

O absolutismo de Flávio Dino…

E a fraqueza do governo inspira a força de aliados insatisfeitos.

Como Maranhãozinho, que revelou o abandono dos hospitais de 20 leitos no interior, uma das referências do governo Passado. (Releia aqui)

Ou Paulo Neto, que mostrou o desinteresse do governos nas parcerias para reforçar o beach soccer em Chapadinha.

E sobretudo Ribamar Alves, que viu dedo do governo comunista até na ação que o levou à prisão sob acusação de suposta prática de estupro.

Pior é que Flávio Dino inspira críticas muito cedo para quem se propõe liderança história no Maranhão.

Afinal, são apenas 18 meses de governo…

0

Eduardo Braide prega unidade da classe política em defesa do MA…

Para deputado, só a ação conjunta de todas as lideranças maranhenses pode levar o novo governo Michel Temer a agir nas obras e serviços de sua responsabilidade no estado

 

Braide: unidade pelo Maranhão

Braide: unidade pelo Maranhão

O deputado Eduardo Braide (PMN) defendeu, nesta quinta-feira, 12, a unidade da classe política do Maranhão neste novo momento do país.

Na tribuna, ao citar o Papa Francisco, o parlamentar destacou que é preciso haver maturidade dos políticos maranhenses.

Cito a mensagem do Papa Francisco, que pediu ao Brasil ‘harmonia e paz, com a ajuda de orações e do diálogo’ nesses momentos de dificuldade, para dizer que é também o momento de toda a classe política do Maranhão estar unida para que o principal objetivo seja a recuperação da economia do país, com a retomada geração de emprego e renda”, destacou o deputado.

Eduardo Braide ressaltou ainda que é preciso que, por meio da intervenção da classe política maranhense, o Governo Federal passe a solucionar os problemas de sua competência.

O deputado citou obras importantes de infraestrutura no Estado, ainda não entregues pelo Governo Federal.

A ampliação do aeroporto de São Luís ainda se arrasta, comprometendo o fluxo e o atendimento dos passageiros em nossa capital. E é claro que não posso esquecer a duplicação da BR-135. Em audiência pública, nesta semana, aqui na Assembleia, o DNIT informou que a entrega do primeiro trecho da duplicação, foi adiada novamente, e só vai ser entregue em abril de 2017”, detalhou Braide.

Ao encerrar o seu pronunciamento, Eduardo Braide voltou a pedir unidade da classe política tendo como exemplo, a harmonia e o respeito às opiniões divergentes demonstrados durante as manifestações de milhares de brasileiros que acompanham o processo de impeachment nas ruas.

4

Políticos na passagem de Marcos Caldas por Brejo…

Além de prefeitos, vereadores e ideranças partidárias e comunitárias da região do Baixo Parnaíba, o governador em exercício, Marcos Caldas (PRB), foi acompanhado de membros da classe política maranhense em sua passagem pelo município de Brejo.

Marcos Caldas, com políticos, ao inaguruar escola em Brejo

Estiveram com ele o senador João Alberto de Souza (secretário de Assuntos Estratégicos do governo), o secretário de Infraestrutura, Max Barros, o deputado federal Cléber Verde (PRB) e o deputado estadual Roberto Costa (PMDB).

Em Brejo, Marcos Caldas inaugurou uma escola em um povoado quilombola, lançou as obras de pavimentação em ruas do município e conversou política com líderes de partidos.

– Foi uma festa muito bonita em Brejo – definiu Roberto Costa.

O parlamentar voltou ontem mesmo da região, acompanhado de Alberto e Max, que tinham compromissos em São Luís neste domingo de Páscoa. Com Caldas, ficou o deputado Cléber Verde, presidente regional do seu partido.

Chegada de Caldas em Brejo, com todas as prerrogativas de governador (imagem: blog Camaleão)

Marcos Caldas deve retornar a São Luís ainda na noite deste domingo.

Amanhã, ele reúne o secretariado para cumprimento de agenda administrativa. À noite, deve receber deputados no Palácio dos Leões.

O governador em exercício fica no posto até terça-feira…

15

BR-135: cobrar explicações não basta!!!

BR-135 vai sendo esquecida e a classe política do Maranhão só reclama

É sempre o mesmo discurso.

Cada vez que o Governo Federal toma alguma medida contrária aos interesses da população do Maranhão – veja bem: da população, não deles! – os políticos maranhenses, todos eles, vêm com a frase feita de que vão cobrar explicações.

Mas isso não basta!

É preciso agir com rigor, em forma de pressão.

Até por que, a duplicação da BR-135, assim com a reforma do Aeroporto Cunha Machado, ainda não saiu por omissão aboluta da Bancada Maranhense no Congresso Nacional – toda ela.

Salvo alguns poucos deputados, a maioria está mesmo preocupada é com o número de cargos que vão poder indicar nos órgãos públicos no estado – sem falar que boa parte nem aqui pisa.

Cobrar explicações não basta!

É inceitável que um estado que tem o presidente do Congresso, dois ministros de estado e o presidente de uma empresa importante para o Turismo não consiga garantir o básico para o seu desenvolvimento.

A exemplo do Ceará, o governo maranhense tem que agir, pressionar, até mesmo ameaçar, como fez o governador Cid Gomes (PSB)  sua bancada.

O fato é que o Maranhão vai sendo posto em último lugar na lisa de prioridades do Governo Federal e a classe política vai passando ao ao largo.

Todos são responsáveis e todos têm obrigação de garantir uma resposta – veja bem: garantir, não cobrar!

E como se garante? Com ameaça aberta e ações em vias de fato.

Simples assim…

7

A situação de Jackson Lago…

Jackson ainda está internado em SP

O ex-governador Jackson Lago (PDT) tem pneumonia. O pedetista, vítima de câncer de próstata, está internado em São Paulo, sem prvisão de alta. A boa notícia é que Jackson já deixou a UTI do Hospital Albert Einstein.

Apenas a mulher, Clay Lago, e o filho, Igor Lago – que também são médicos – têm acesso às informações sobre o quadro de saúde do ex-governador. O hospital não divulga boletim médico nem dá informações sobre o caso.

Jackson tem câncer na próstata desde o início da década de 90, mas só admitiu publicamente a doença no início deste ano, quando realizou tratamento para entrar na campanha eleitoral.

O desgaste da campanha agravou o quadro clínico, o que levou a internação do ex-governador…

6

Eleição na Famem: classe política mostra preferência por Júnior Marreca

marreca ganha apoios

Catorze dos 18 deputados federais maranhenses e 28 deputados estaduais – entre eleitos e atuais detentotes de mandato – declararam apoio à candidatura do prefeito de itapecuru-Mirim, Júnior Marreca (PV), na disputa pela presidência da Federação dos Municípios do Maranhão.

A lista inclui nomes de todas as correntes políticas, como Nice Lobão (DEM), Pinto Itamaraty (PSDB) e Domingos Dutra (PT), no caso dos federais; além de Zé Carlos da Caixa (PT), Cleide Coutinho (PSB) e Roberto Costa (PSB), no caso dos estaduais.

O apoio da classe política repercute na decisão dos prefeitos, uma vez que muitos são ligados aos deputados federais e estaduais.

A adesão à candidatura de Marreca tem forte influência da decisão do futuro prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PMDB), de compor a chapa como candidato a vice-presidente.

Júnior Marreca disputa a eleição da Famem com o prefeito de São João dos Patos, ´josé Mário (PMDB), e a prefeita de timon, Socorro Waquim (PMDB). A eleição an entidade acontece em fevereiro.

Abaixo, a relação dos membros da classe política que apoiam a chapa Júnior Marreca/Gil Cutrim:

DEPUTADOS FEDERAIS
1. Alberto Filho (PMDB)
2. Carlos Brandão (PSDB)
3. Cléber Verde (PRB)
4. Domingos Dutra (PT)
5. Edivaldo Holanda Júnior (PTC)
6. Hélio Santos (PSDB)
7. Luciano Moreira (PMDB)
8. Nice Lobão (DEM)
9. Pedro Fernandes (PTB)
10. Pedro Novaes (PMDB)
11. Pinto Itamaraty (PSDB)
12. Ribamar Alves (PSB)
13. Waldir Maranhão (PP)
14. Zé Vieira (PR)

DEPUTADOS ESTADUAIS
01. Afonso Manoel (PMDB)
02. André Fufuca (PSDB)
03. César Pires (DEM)
04. Cleide Coutinho (PSB)
05. Edson Araújo (PSL)
06. Francisca Primo (PT)
07. Hélio Soares (PP)
08. Hemetério Weba (PV)
09. Jota Pinto (PR)
10. Manoel Ribeiro (PTB)
11. Marcelo Tavares (PSB)
12. Max Barros (DEM)
13. Neto Evangelista (PSDB)
14. Raimundo Cutrim (DEM)
15. Rigo Teles (PV)
16. Roberto Costa (PMDB)
17. Rogério Cafeteira (PMN)
18. Rubens Pereira Jr. (PCdoB)
19. Stênio Rezende (PMDB)
20. Victor Mendes (PV)
21. Zé Carlos (PT)
22. Alberto Franco
23. Chico Gomes
24. Edivaldo Holanda
25. Jura Filho
26. Antônio Bacelar
27. Penaldon Moreira
28. Fufuca Dantas

24

Todos estão agraciados…

Alguns analistas vêem dificuldades na formação do governo Roseana Sarney (PMDB) pelo fato de ela ter que agradar seus aliados políticos.

Citam como exemplo as pastas da Agricultura, de Minas e Energia, e da Educação.

Na Agricultura o titular é Afonso Ribeiro, indicado pelo PTB, dos irmãos Pedro Fernandes e Manoel Ribeiro. Fernandes relegeu-se para o quarto mandato na Câmara Federal. Ribeiro voltou à Assembléia com importante votação. E o próprio Afonso é suplente do senador Epitácio Cafeteira (PTB).

A pasta de Minas e Energia é comandada por Israel Ferreira, filho do suplente de deputado federal Costa Ferreira (PSC). O pai, embora não conseguindo a reeleição, teve as condições para garanti-la. E o filho deve ser candidato a vereador em São Luís, no próximo pleito.

A pasta da Educação foi entregue ao PT. O secretário Anselomo Raposo se perdeu em questões internas com os próprios petistas. Seu padrinho, Washington Oliveira (PT), foi eleito vice-governador ao lado de Roseana Sarney (PMDB).

O governo de Roseana Sarney será técnico. E a classe política, de uma forma ou de outra, foi, será ou já está agraciada.

Simples assim…